Make your own free website on Tripod.com
Picture
Picture

Teatro Cristão

Teatro cristão, teatro gospel, teatro evangélico, peças teatrais, textos para teatro, dicas, dramas comédias, adaptações de textos bíblicos, exercícios teatrais, oficinas de teatro.

EU SOU UM JOVEM

  (Celeste Dummer)

  Personagens :

Pai - Arnaldo;     

Mãe - Glória;     

Filha - Kátia, 15 anos;     

Filho - Geraldo, 20 anos;     

Filha - Lúcia, 19 anos;     

Um jovem –    Roberto 

 

Cenário : uma sala de visita, a mãe preparando a janta. Lúcia está sentada numa ponta de mesa escrevendo

Glória : Lúcia você poderia me ajudar a preparar a janta. Pois seu pai e seus irmãos devem estar chegando.

Lúcia : Mamãe a Senhora me desculpe, eu quero apenas terminar estes apontamentos. Não sei se já contei, mas no próximo domingo eu terei que fazer uma palestra na minha união juvenil.

Glória : Está bem podes terminar.(Uma pausa) Como eu me sentiria feliz se Geraldo e Kátia também fossem assim. Deus, juventude, nada existe para eles. Querem apenas aproveitar a vida. Lúcia, você poderia tentar levados ao bom caminho. Como eu e seu pai ficaríamos felizes.

Lúcia : Esta bem mamãe, eu farei o possível.

(Ouve-se um barulho e chega o pai e os dois filhos. Kátia e Geraldo entram cantando uma música jovem).

Kátia : Oi mamãe, tudo O.K.?

Geraldo : Como está coroa?

Glória : (Triste) Vocês poderiam ao menos me dar um beijo, mas não, entram e nem se lembram de mim.

Kátia : Já que a senhora insiste, vai lá.

Geraldo : O que é isso coroa, se fosse minha namorada, aí sim. Por que daí teria esperanças de receber alguma coisa em troca. Mas a senhora...não enche tá legal.

Glória : Está bem, você é quem sabe.

Geraldo : (Dirige-se até onde está Lúcia).O que a minha querida irmã está fazendo?

Lúcia : Estou preparando uma pequena palestra para apresentar na reunião da juventude.

Geraldo : Olha só, a santinha novamente. Quer saber de uma coisa? Pra mim juventude já era.

Kátia : (Que esta perto) Sabe eu acredito em Deus, mas não estou muito confiante não.

Arnaldo : (Quando entra ouve as ultimas palavras). Meu Deus que fiz eu para merecer algo assim? Meus filhos não crêem em Deus. Eu trabalho para lhes dar comida e tudo que precisam. Quando chego em casa cansado de trabalhar, ouço isso de meus filhos.

Geraldo : Sai dessa coroa.

Kátia : Talvez papai tenha razão, mas o negócio é aproveitar a vida.

Arnaldo : (Irritado). Vão já vestir roupas mais decentes para que possamos jantar depois. (Geraldo e Kátia saem) Que podemos fazer meu Deus?

Lúcia : Deixe comigo papai, eu falarei com os dois.

Glória : Tenha calma Arnaldo, Lúcia saberá convencê-los.

Arnaldo : Tente minha filha.(Caminha de um lado para outro) Até já perdi o apetite e nem quero jantar. Vou dormir.

Glória : Eu também estou cansada. Vou dormir também. Jantem vocês. (Geraldo e Kátia entram vestidos com outra roupa).

Kátia : Onde está o papai e a mamãe?

Glória : Foram dormir.(Pausa) Venham jantar já passam das nove horas.

Geraldo : Não estou com fome. Passei numa lanchonete com meus amigos e comemos um sanduíche.

Kátia : Eu também não quero jantar. Depois os velhos enchendo a cabeça da gente. (Silêncio na sala).

Lúcia : Vocês poderiam me dar um pouco de atenção? Ou estão muito ocupados amanhã?

Geraldo : Amanhã Kátia e eu vamos lhe dar atenção que você pede a tanto tempo.

Kátia : Peça o que quiser.

Lúcia : Amanhã virá aqui um amigo meu. Também é da juventude. Vocês poderão conversar com ele também.

Geraldo : Combinado.

Fecha-se o pano.

  2º Ato

  Cenário: Sala de visitas, Lúcia esta sentada numa poltrona, escutando uma música clássica. Geraldo e Kátia entram alegres

  Geraldo : Corta essa mana. O negócio é isso aqui. (Coloca um disco com música barulhenta e os dois começam a dançar. De repente alguém bate na porta).

  Lúcia : Deve ser o Roberto. (Roberto entra) Entre Roberto. Este são meus irmãos (apresenta-os) o Geraldo e a Kátia.

  Roberto : Prazer em conhecê-los.

  Lúcia : Sente-se Roberto.(Um pouco de silêncio).

  Geraldo : Afinal quem é você Lúcia me fala tanto de você.

  Roberto : Sou apenas um jovem igual a você.

  Geraldo : O que você faz?

  Roberto : Durante o dia eu trabalho no escritório do meu tio, à noite estudo e nos fins de semanas participo das promoções da juventude. Como sua irmã também o faz. E você, o que faz?

  Geraldo : Estudo de manhã. Mas não tenho sorte. Já fui reprovado duas vezes. Também estes professores não dão nenhuma chance. Lúcia sim é quem tem sorte. É um ano, mas nova que eu, e já está um ano adiantada.

  Roberto : Você é que encara a vida de uma maneira errada. Tente encontrar-te a ti mesmo. Confia teus problemas a Deus, peça ajuda a ele.

  Geraldo : Sem essa magrinho. Pelo que ouvi vocês só aprendem a dar conselhos. É só isso que essa bendita união juvenil oferece.

  Roberto : Não Geraldo, temos uma quadra de esportes, onde são praticados todos os esportes desejados.

  Geraldo : Quer dizer que reunião dançante nunca saiu?

  Roberto : Não, procuramos nos divertir de maneira alegre sem com isso ofender a Deus. Procuramos verdadeiros amigos.

  Geraldo : Praticar esportes, me divertir, encontrar amigos, tudo isso encontro lá no clube.

  Kátia : Geraldo eu acho que o Roberto tem razão. Tentar não custa nada. A gente vive por aí sem se preocupar com a vida, com nosso pais.

  Geraldo : Eu gostaria realmente de ser um jovem como você. Que vê tudo com alegria e amor. Mas meus amigos todos acham que devo tocar o barco, sem preconceitos, e nem ligar para aquilo que os outros pensam e dizem.

  Kátia : Uma vez tentei mudar, mas um amigo disse que isso já era. Mas vou tentar encontrar amigos que possam me ajudar a viver a vida de uma maneira diferente.

  Roberto : Olhem, eu trouxe um livro que fala sobre os problemas que o jovem enfrenta. Leiam-no.

  Geraldo : Obrigado.

  Roberto : Tenho que ir senão perco a 1ª aula. Tchau! Espero vocês todos na reunião da nossa União Juvenil. (Roberto sai acompanhado de Lúcia)

  Pano entreaberto

  Narrador : O que acontece com estes jovens é o mesmo que acontece com muitos dos jovens de nossos dias. Kátia e Geraldo estão numa encruzilhada. Continuar no caminho que os leva as diversões mundanas ou mudar, e seguir o caminho que os levará ao encontro de Deus? Prezados jovens fazei com este jovem que não mediu esforços para recupera estes dois, dos muitos jovens, que se encontram nesta dúvida. Após várias visitas, discussões e livros novos que foram dados e lidos, Kátia saiu com estas palavras...

  Kátia : Geraldo o que você acha disso que vou lhe dizer? Vamos abandonar aqueles amigos que não nos levam a lugar algum, para viver mais unidos aqui em casa com papai e mamãe.

  Geraldo : Kátia você acaba de dizer uma grande verdade, nossa vida sempre foi vazia. Sem objetivos. Quando vi aquele amigo de Lúcia, realizado na vida, feliz, eu cheguei à conclusão de que devemos mudar nossa vida. (Lúcia entra).

  Geraldo : Lúcia você nos desculpa tudo aquilo que fizemos e dissemos. Você nos desculpa?

  Lúcia : Estão desculpados. O importante é que vocês se convenceram de que estavam errados.

 

Inicial Exercícios Textos

Dicas

Links e-mail